Caçapava tem professora finalista no Prêmio Educador Nota 10 – Caçapavense
Caçapava, terça-feira, 22 de agosto de 2017 | Temperatura: 14.0 °C

Caçapava tem professora finalista no Prêmio Educador Nota 10

Por em 03/08/2017

São Paulo, agosto de 2017 – A lista dos 50 finalistas do Prêmio Educador Nota 10, revelada neste sábado (29), conta com um projeto de Caçapava. Karine Rezende, da EMEIPI Profª Márcia Aparecida Faria, está na disputa pelo título da 20ª edição. No total, mais de 5 mil trabalhos foram inscritos em 2017, um crescimento de 20% em relação ao ano anterior. Cada um dos projetos passou pelo olhar criterioso de pelo menos dois dos 23 selecionadores, que analisaram os conteúdos ao longo de um mês e meio. No último sábado, os selecionadores fizeram breves defesas dos projetos eleitos para seus colegas e convidados na Fundação Victor Civita.

O processo, capitaneado por Luciana Hubner, coordenadora pedagógica e formadora da área de Ciências, conta com especialistas em didáticas específicas, pesquisadores das principais universidades do país, orientadores de graduação e pós-graduação, e formadores de gestores e de professores em suas respectivas disciplinas. Além da leitura dos trabalhos, são realizadas entrevistas com os educadores e solicitado material para a comprovação dos avanços de aprendizagem dos alunos em suas escolas.

Entre os selecionados nesta fase, sete são de Língua Portuguesa, seis de História, quatro de Geografia, três de Matemática, três de Artes, três de Ciências, três de Educação Física, dois de Língua Estrangeira, um de Física e um de Química. Completam a lista sete para Educação Infantil, seis para gestores/diretores e quatro para Alfabetização. A região do país melhor representada entre os finalistas é a Sudeste com 24 projetos (22 de São Paulo, um de Minas Gerais e um do Espírito Santo). A novidade do Prêmio Educador Nota 10 este ano é a inclusão da etapa Ensino Médio, que recebeu 587 inscrições, e colocou 10 educadores entre o top 50.

Reconhecimento e premiação

À parte de toda a atenção da mídia e de sua valorização como profissional que contribuiu para o aprendizado dos alunos, cada um dos finalistas recebe uma assinatura anual do site que dá acesso às revistas digitais de NOVA ESCOLA e GESTÃO ESCOLAR, além de outros conteúdos e um diploma de participação.

Os 50 indicados aguardam com ansiedade a seleção do top 10, que acontece no próximo dia 7 de agosto. Cada um dos 10 vencedores do Prêmio Educador Nota 10 ganha um vale-presente no valor de R$ 15 mil, além de todas as despesas pagas para vir à cerimônia de premiação, na Sala São Paulo, em outubro. Na ocasião, será conhecido o Educador do Ano, escolhido pela Banca de Jurados. Este professor ou gestor receberá outro vale-presente também no valor de R$ 15 mil.

Uma novidade da 20ª edição é a entrega de um vale-presente no valor de R$ 1 mil para a escola dos 10 vencedores e para a escola do Educador do Ano, mais um no valor de R$ 5 mil. A organização do Prêmio quer que cada escola, onde o projeto foi realizado, possa celebrar a conquista do seu professor ou gestor com a comunidade escolar.

Para conhecer os 50 finalistas acesse:

http://www.fvc.org.br/educadornota10/finalistas-2017.shtml

 

Caso queira saber mais sobre os projetos visite:

https://www.facebook.com/fundacaovictorcivita/

 

Sobre o Prêmio Educador Nota 10

Criado em 1998, o Prêmio Educador Nota 10 reconhece professores da Educação Infantil ao Ensino Médio e também coordenadores pedagógicos e gestores escolares de escolas públicas e privadas de todo o país. Desde 2015, a iniciativa, uma realização da Fundação Victor Civita, é apresentada pela Abril e Globo, em parceria com a Fundação Roberto Marinho.  Este ano, o Prêmio conta com o apoio de Nova Escola e o patrocínio de Fundação Lemann, Somos Educação e Faber-Castell. Em 2017, o Prêmio recebeu 5.006 inscrições, número 20% maior que o do ano anterior. Ao longo das 19 edições realizadas foram premiados 211 educadores, entre professores e gestores escolares, que receberam aproximadamente R$ 2,5 milhões.

 

Sobre a Fundação Victor Civita

A Fundação Victor Civita foi criada em 1985 como uma das primeiras iniciativas brasileiras no campo social. Sua missão é valorizar o trabalho de professores e gestores, disseminando as melhores práticas da Educação Básica para auxiliar os educadores brasileiros a enfrentar os desafios de seu tempo. Saiba mais em www.fvc.org.br

Grupo Abril – conhecimento é o nosso negócio

O Grupo Abril está na vida de milhões de pessoas. Unindo a expertise dos seus pilares de mídia, logística, licenças, assinaturas, big data, branded content, gráfica, a Abril produz conteúdo, informação de qualidade e soluções de comunicação e logística para seus clientes. Entre os mais de 90 títulos e sites que possui está VEJA, maior revista do Brasil e uma das maiores semanais de informação do mundo. Recentemente foram lançados GoBox, plataforma de clube de assinaturas, e GotoShop, operação de e-commerce. A Abril também possui em seu portfólio a CASA COR, maior evento de Arquitetura e Design das Américas. A missão da Abril é “contribuir para a difusão de informação, cultura e entretenimento, para o progresso da educação, a melhoria da qualidade de vida, o desenvolvimento da livre iniciativa e o fortalecimento das instituições democráticas do país”.

Sobre a Globo

Globo é uma das maiores empresas de mídia do mundo, produzindo 3.000 horas de entretenimento e 3.000 horas de jornalismo por ano no Brasil. Com uma rede de 5 emissoras próprias e 118 afiliadas, a empresa cobre 99,6% do território brasileiro. Sua programação está disponível também pelo Globo Play, a plataforma de vídeo sob demanda da emissora. Além de uma programação diversificada na TV aberta, a Globo também investe em produções para TV paga, internet e cinema. Sua operação internacional conta com sete canais a cabo e uma divisão para produção e distribuição de conteúdo de esporte e entretenimento, alcançando mais de 170 países ao redor do mundo. Reconhecida pela qualidade de suas produções, a empresa já recebeu 15 prêmios no Emmy Internacional.

Sobre a Fundação Roberto Marinho

A convicção de que a comunicação pode ser instrumento para transformação social motivou a criação da Fundação Roberto Marinho, em 1977. Suas iniciativas promovem o direito à educação, incentivam o protagonismo, valorizam a cultura brasileira e o meio ambiente. Dentre elas, os programas de educação Telecurso, Aprendiz Legal e Qualifica; os museus da Língua Portuguesa e do Futebol, Museu de Arte do Rio, Museu do Amanhã e Museu da Imagem e do Som (os dois últimos em construção no Rio de Janeiro); o Futura, um projeto social de comunicação, com uma programação que alia entretenimento e conhecimento útil para a vida com ações de mobilização social que permitem que o público interaja com a programação, trabalhe e aplique os conteúdos no dia a dia; e iniciativas de educação ambiental, com foco na gestão sustentável dos recursos naturais (Florestabilidade), e no incentivo à ciência e tecnologia (Prêmio Jovem Cientista). Saiba mais www.frm.org.br.

Fonte: Linhas Comunicação